Para visualizar este site, favor habilitar o JavaScript no seu navegador.

Um último olhar

Dalila Moura

28/06/2018 21:20

Um último olhar, penetrante e lento,
a despedir-se das rosas que tombaram;
carne da sua carne, do sangue célula,
que um cordão umbilical, um dia uniu.
O silêncio das crianças, onde a cor do céu,
das árvores e do mel descansava, dos ruídos
empilhados no corredor, onde a alma
se escondia num recanto do medo;
esse silêncio era agora, clarão de vozes
com flores na boca e anjos brancos, de asas
rendilhadas, a descer em trepadeiras de luz
que os pássaros tinham resguardo, no sonho.