Para visualizar este site, favor habilitar o JavaScript no seu navegador.

Um sonho que passou

Edilde Lima de Aragão

05/02/2015 01:33

Como um raio de luz em minha vida,
Minha alma de artista a iluminar,
Tu surgiste, e partiste, só deixando
Um retrato, um presente ao meu olhar.

Qual nômade vagueias sem destino,
Tens sangue de cigano em tuas veias.
Teceste um sonho que me embalou a vida,
Emaranhando-me nas tuas teias.

Foste bem mau, deixando-me nutrir
Uma ilusão fatal sem esperança.
Mas, mesmo assim, eu trago docemente
Tua imagem gravada na lembrança.

E, quando às vezes, triste, em solidão,
Recordo com saudade o nosso amor,
Revejo teu retrato, que parece
Bâlsamo santo a aliviar minha dor.