Para visualizar este site, favor habilitar o JavaScript no seu navegador.

Transborda

Dalila Moura

28/09/2018 01:44

Escondo-me na cor da chuva
entre o sopro do vento e o olhar do infinito.
Tropeço no som do mar e toda a minha alma
se estende perto de ti.
Há uma barco rasgando o orvalho
sulcando devagarinho os contornos do tempo…
Como se fosses leme e eu timoneiro
e nossas bocas selassem o caminho!
E o Mar, mordendo as ondas e as madrugadas – uma a uma até
tocar o céu!