Para visualizar este site, favor habilitar o JavaScript no seu navegador.

Teia de ilusão

Edilde Lima de Aragão

01/09/2015 01:29

Teceste, com que mestria,
Uma teia de ilusão.
Teceste um ninho de ouro,
Prendeste meu coração.

Teceste um lar de sonho,
Fonte de vida e dulçor.
E eu vivia a cantar,
Embriagado de amor.

Um dia partiu-se a teia
E não te vi ao meu lado.
Senti-me desfalecer,
Estava tudo acabado.

Partiste sem dizer nada,
Deixando um ninho desfeito.
Agora tudo é ruína
No meu lar e no meu peito.