Para visualizar este site, favor habilitar o JavaScript no seu navegador.

Sortilégio

Dalila Moura

09/08/2019 01:45

Improvável permanecer flor, fruto, semeador.
Improvável lume que não queime e chama
que não arda. Sob a árvore os pássaros anoitecem
na clareza do dia. As entranhas das horas vão voando,
lembrando que as folhas ponderam o milagre de voltar
à terra, semente e espinhos a coroar a cabeça do tempo
e a memória dos homens, descendentes de meninos e
espigas soalheiras em pleno Inverno.
Estrelas ocultas na chuva turva que escorre na garganta,
ganhando instantes ao cair, engrossando o mar e o abismo.
Torrente a soprar na linguagem do vento, na palavra do
tempo e da distância que persiste a queimar o lugar que
conduz unicamente ao momento! Ao local exacto onde o
coração transmuta as veias – em abraço – e os sonhos se
cruzam no fascínio que demora!