Para visualizar este site, favor habilitar o JavaScript no seu navegador.

Sombras

J. Freire Ribeiro

27/07/2022 21:20

Sombras de luz do meu amor passando
Da hóstia d’alma no celeste caminho,
Sombras de dor esparsas no caminho
Da minha glória, no viver sonhando.

Sombra dos beijos que te dei cantando,
Do meu desejo no fatal caminho,
Sombra de carne que no vinho
Do meu prazer, só p’ra viver chorando.

Parai, na solitária estrada
Da minha vida, na fatal morada
D’uma lembrança, aurifulgente ainda,

P’ra que meu peito de tristeza cheio
Morra cantando em divinal gorjeio
Tua saudade cada vez mais linda.