Para visualizar este site, favor habilitar o JavaScript no seu navegador.

Ser livre

Maria Helena Ventura

25/03/2022 01:27

Esta casa é de papel
as paredes folhas vivas
de um damasco de algodão
lavrado com os teus gestos.
As janelas são rosáceas
dos meus olhos
repetidas na impressão
de noctívagos
afagos.
No soalho de madeira
de carvalho envelhecido
rangem dentes de segredos
que não queremos traduzir
senão quando a lua acorda.
E se acorda
a casa vibra
na impressão do papel
na gravação do damasco
na lateral das janelas.

Esta casa tem beirais
de zínias multicolores...
descobri de madrugada
aromas desconhecidos
Já podes pintar um sol
nas paredes de papel
enquanto eu liberto
um pássaro
do exílio voluntário
e aprendo a voar com ele.

                    (In Quando o silêncio falar)