Para visualizar este site, favor habilitar o JavaScript no seu navegador.

sabes os meus dedos

Isabel Mendes Ferreira

25/10/2016 23:26

sabes os meus dedos são de lonjuras e migram na magistratura de uma
lucidez paranónima.
emergem e imergem na evasão e na invasão. sorris? eu também. que a
vida é eleita para ser ilegível. no mais doce e profundo discurso
inconciso. é à ordem dos afectos que se solicitam os adjectivos mais
exactos. porém nunca perfeitos como narrativa das horas.
visto um plural de modéstia para que a majestade dos dedos seja
coerência. é só uma distância de istmos a que os dedos aspiram e as
palavras lapidam. e
o pão como subordinado adverbio de falta falta-nos. será elíptico ou
apenas metáfora. oração benevolente.