Para visualizar este site, favor habilitar o JavaScript no seu navegador.

recorda-me como um meteoro distante

Isabel Mendes Ferreira

27/01/2015 01:22

recorda-me como um meteoro distante que caiu do céu e se perdeu na
noite.
a tua ausência é sempre presença. e da inocência de morrer fiz-te laço.
trágico e doce fruto de uma flor que foi astro e irradiação de todas as
horas em que não fui maré nem anjo arrebatador. antes insólito apelo de
uma escrita em pulsão descrita em marcas de água. que levaste contigo
no dia em que a morte foi mais ardente. no instante em que o espírito
purgou as asas e as tuas palavras enigmáticas foram espuma 

ácida.__________resta a gravidade do etéreo e a distância de uma faca.