Para visualizar este site, favor habilitar o JavaScript no seu navegador.

Quantos outros ecos

Leonora Rosado

24/02/2021 01:45

Quantos outros ecos
Na fina nervura da noite
Distanciam-me dos versos
E entregam a treva ao plural
De uma escada
Ao incêndio vago de algum luar
Estou entre o poema e a morte
Oscilar será sair com o rosto
Banhado de fogo lunar
Um ou outro relâmpago
De brilho nos negros olhos.