Para visualizar este site, favor habilitar o JavaScript no seu navegador.

Poema da minha dor

Paulo Barreto

27/07/2022 01:18

... E que eu role sozinho
Pela estrada da vida
Como uma folha carcomida
Tangida pelo vento...
E que eu siga carpindo o meu tormento
A minha dor pungente.
O desvelo de tudo que amei...
Lágrimas sentidas que chorei,
Depois de sonhos lindos que sonhei,
E a saudade atroz,
Dos meus tempos de amor e felicidade.
... E que eu role sozinho
Pela estrada da vida
Sentindo o gosto amargo do infortúnio,
Sem uma sombra amiga, sem carinho,
Tropeçando nas pedras do caminho
Como um pária qualquer em busca de guarida
Até que a morte a mais fiel amiga,
Me liberte afinal...



(In Histórias do meu pai... & Estórias por meu pai.../ Lena Barreto)