Para visualizar este site, favor habilitar o JavaScript no seu navegador.

pianíssimo desconcerto

Isabel Mendes Ferreira

03/07/2021 01:42

pianissimo desconcerto como se amanhã a colheita fosse só de fragmentos inconscientes sem brio nem honra nem glória. mora perto a melancolia de Virgílio e o vocabulário de Plotino. enquanto juro juro que é junho. e que existe a cegueira profética meticulosa quente e desabrigada onde o verso arrasa o chão. e sobra sempre a última boca.âncora vigilante. mapa de um junho de juras.juro que nada sei de poesia nem me interessa o centeio nem as aspas dos profetas de agora enquanto durmo e nem sei deste junho.