Para visualizar este site, favor habilitar o JavaScript no seu navegador.

Paisagem corporal

Avelino Bento

16/06/2021 01:45

Quisera que este amor não quebrasse
na etérea profundidade do além.
Quisera que este amor desdenhasse
quem por mal não nos quer bem.

Pudera estar sempre em ti envolto
tapando-me dos medos e dos receios.
Pudera ser o pássaro que em ti é solto
que, cantando, se esgota em devaneios.

Fizera o tempo parar em si
para mais tempo te abraçar.
Fizera eu amor cantando em ti
o tempo do nosso despertar.

Amara em eterna saudade
este amor de nós ambos, só.
Amara em longa eternidade
até o corpo fazer, fazer-se pó.