Para visualizar este site, favor habilitar o JavaScript no seu navegador.

O voo

Maria Helena Ventura

28/11/2020 02:59

Desenha uma casa
com mãos nuas
no centro do meu corpo
uma casa de ossos brancos
e suor
no centro do nosso corpo.
Pinta na divisão mais ampla
do afecto legível
o líquido azul da cognição
um sorriso de paz
um abraço
e deixa-me gravar as cores puras
dos enredos sem mácula
nas dobras da tua pele.
O vento é agreste
o Amor também o pode ser
mas refeitos da voracidade
do Tempo
da verdade
da negação
partiremos em serena renúncia
abrindo os dedos trémulos
aos pássaros da liberdade.
Talvez possamos regressar um dia
não sei...tu sabes?
Afinal a memória
do que vale a pena
anda por aí presa às nuvens
como se asa esquecida...

(Maria Helena Ventura in PEDRA DE SOL)