Para visualizar este site, favor habilitar o JavaScript no seu navegador.

O cheiro da chuva

Ivana Maria Franco Ribeiro

27/12/2016 23:59

O cheiro da chuva lembra minha infância
Tempos de corridas nas ruas sem asfalto
Terra vermelha
Cheiro de mato
Não existiam grades nas casas
As portas e janelas ficavam abertas
Ainda muito pequena
Talvez cinco anos
Sentava-me no degrau do corredor de entrada da minha casa com o jornal que embrulhava as bananas da feira, e lá ficava, inventando as minhas notícias do dia!
Quando a chuva chegava
Rapidamente tinha pronto um chapéu e um barco
Ia para frente da casa avistar um certo menino que, diferente de mim, cavalgava seu cavalo - um cabo de vassoura com uma cabeça de cavalo de plástico! Era engraçado.
Havia duas amigas orientais que enchiam suas panelinhas de água da chuva, colhiam salsinha do nosso quintal e preparavam a sopa quente para depois da chuva quente, barrenta e muito divertida!
Esses pensamentos e muitos outros passaram por minha cabeça em apenas um click! O click da chuva de ontem na janela gradeada do meu quarto. No quinto andar!
Era bom ler o jornal, que virou barco, que virou chapéu, que viajou na enxurrada, que hoje é um click de outra chuva, que também cheira mato, na janela gradeada do meu quarto no quinto andar do prédio onde moro...