Para visualizar este site, favor habilitar o JavaScript no seu navegador.

Nostalgia

Edilde Lima de Aragão

28/01/2015 01:24

Pleno oceano! O barco singra as águas
Em busca do destino desejado,
Flutuando garboso qual um cisne,
Esquecendo as procelas do passado.

Bom exemplo, para quem como eu
Tem a alma turva, faz do sol penumbra.
Até a lua cheia quando surge,
O meu olhar parado não vislumbra.

Nada pra mim traduz encantamento.
Até o próprio mar me faz chorar,
Acorrentado à dor, ao sofrimento.

Fico triste e mudo a cismar,
Sempre tão recolhido no meu eu,
Qual monge solitário olhando o mar.