Para visualizar este site, favor habilitar o JavaScript no seu navegador.

Ninguém nos ama

Leonora Rosado

27/03/2020 16:58

Ninguém nos ama
Minha pomba brava
Minha inquietude que não rara
Me traz o sangue de uma manhã tão clara
Ninguém nos quer meu confinado postigo
Nem a lama
Nem o granito do jazigo
Nem nos cinge
E se finge de enredos
Ninguém nos perscruta
Meu recôndito segredo