Para visualizar este site, favor habilitar o JavaScript no seu navegador.

Nasci aqui por mero acaso

Isabel Pereira Rosa

24/05/2019 01:08

Nasci aqui por mero acaso,
em Portugal;
a Terra é tão grande,
podia ter sido em qualquer outro lugar.
Filha serôdia num país triste
à beira da desgraça
de jovens mortos, tortura e escuridão,
onde se vivia apenas de trigo -- pouco -- e opressão.
Era o país que tínhamos,
mas o sonho de muitos era a revolução.
Viveu-se a guerra e outras guerras
de que pouco se fala:
Tarrafal, quase esquecido,
o pensamento obscurantista,
os lenços escuros nas cabeças das mulheres,
os machos a caminharem à frente,
apressados, nas ruas esburacadas e mal iluminadas.
Era o país que tínhamos,
mas o sonho de muitos era a revolução
e ela chegou, enfim,
num grito: "Fascismo nunca mais".
Depois, foi o que se sabe:
Um passo à frente, um passo atrás, um passo à frente,
e assim sucessivamente.
Hoje, o meu país
está ainda tão longe do meu sonho,
mas um pouco mais claro
e menos infeliz.