Para visualizar este site, favor habilitar o JavaScript no seu navegador.

Marajó

José Rodrigues Dias

15/03/2016 23:58

Marajó


Sou um barco,
sirvo os homens
e não me farto...

Sou um movediço marco
por sobre as águas
até outras terras e mares...

As pedras, os rombos, eu parado,
lembranças, adoentado, de certas mágoas,
eu lavro as águas, não sou arado...

Sou uma ilha como é Marajó,
um lugar de chão enxuto
por essas águas por onde vou...

Dos homens irmão e servo, fiel os sirvo,
e tu, homo (homo homini lupus?, o Plauto...),
pelos caminhos quem, que ser tu serves?