Para visualizar este site, favor habilitar o JavaScript no seu navegador.

Louça de Feira

José Rodrigues Dias

28/02/2014 18:24

É na tua mão, em teus dedos,
artesão,
que na roda viva da vida
por teus pés movida e pelo coração
(como por velho oleiro
no caminho para Monsaraz)
que se faz
do quase nada informe
cada coisa palpável com suas fronteiras,
seus contornos visíveis
de um lado não ocultado,
histórias de caminhos
sobre o barro

de que também tu outro te fazes
na tua oficina, talvez muito devagar,
até a chama se apagar
pelo tempo por fim consumido…

Do equilíbrio da força
o tempero do barro escolhido
pela mão amassado,
da correcção do erro de aprendiz
a sabedoria
na postura dos dedos
da mão
e do estilete de luz,
a beleza
no objecto em cesto
e em vaso de água fresca
em verão nordestino quente,
pureza de barro em forno cozido
em adorno
de mesa de bem estendida…

De barro
em dúctil mão
um canto de rua
em vozes de puro encanto
em beleza nua
de artesão…