Para visualizar este site, favor habilitar o JavaScript no seu navegador.

Lavra de palavra

José Rodrigues Dias

22/09/2013 17:40

Salta quase amedrontada a palavra de lavra feita,
não a conheço de lavra por fazer.
O poeta faz a terra macia
arada após arada
e sempre semeia
embora sem saber bem o quê
em cada dia.
Creio que é semente do que guardou
em cada rasgo avivado
da vida e da morte
e talvez da sorte
que em traço fino de luz
e em derrames de sombras
mais sinais deixou
e em cadinho lento se desfez
e outro do outro rebentou.
Depois, de repente, salta uma palavra
quase justa e quase que perfeita
embora quase sempre tardia
como uma perdiz amedrontada
de uma seara
ao vento na primavera.