Para visualizar este site, favor habilitar o JavaScript no seu navegador.

Já rompe a noite num soluço

Isabel Pereira Rosa

26/03/2022 01:18

Já rompe a noite num soluço
que desoculta os medos
e inunda a fímbria do olhar.
O vento é uma ave de rapina
transportando nas garras
os meus sonhos de menina.
Sobre as gélidas águas,
apenas uma réstia de luar.