Para visualizar este site, favor habilitar o JavaScript no seu navegador.

Há no ar um cansaço

Isabel Pereira Rosa

16/05/2016 01:05

Há no ar um cansaço de gestos fúteis,
de utopias rasgadas,
rega de campos estéreis, inúteis.
A um gomo se resume a vida –
laranja mil vezes repartida.
Resta a carcaça do tempo –
esse animal gasto pelas horas e desgostos,
que de tanto gritar perdeu a voz –
e um pouco de luz
quando se digna descer sobre o mundo, sobre nós.