Para visualizar este site, favor habilitar o JavaScript no seu navegador.

foi tão de noite que te amansei as flores

Isabel Mendes Ferreira

02/08/2018 03:01

foi tão de noite que te amansei as flores nas entrelinhas desta ilha profana que agora só me amanheces tarde. tarde demais quando digo ramo e
água. a noite é um animal que nos sorve o brilho e o dia a
incomunicabilidade. três vezes te fiz território e outras tantas a ave fez de lente. nada que a infância não revele e a idade não ressalve. era tão de
noite que suspendi este dia só para ser de novo a flor o ninho e a cria.
uma ilha. e toda a herança do lugar. em segredo gradual. rumor sempre
ao alto.que o movimento é uso comum.