Para visualizar este site, favor habilitar o JavaScript no seu navegador.

Exilados da vida

Isabel Pereira Rosa

04/05/2021 01:09

Exilados da vida
Navegamos numa espumosa sabedoria
Em luta pela conhecença;
Assistimos impotentes à demência
De quem nega a evidência,
De quem preza a opacidade
E escarra na transparência;
De quem rejeita a invasão legítima do medo,
Mas exala o hálito pútrido do ódio
E trabalha na instauração do terror.
São quem me inspira a retomar
A antiga rota do sossego e do silêncio,
Mas há uma força tenaz que me sussurra:
Há que estar alerta
Contra a besta invisível que nos persegue,
Atentos ao anjo duvidoso que nos protege
E imunes contra a serpente maligna
Cujo sopro é um insulto
Carregado de uma diferente virulência
Para a qual não há vacina real,
Uma febre imensurável
Do mal.