Para visualizar este site, favor habilitar o JavaScript no seu navegador.

Espera

J. Freire Ribeiro

27/07/2022 21:49

... E é sempre a mesma coisa: os dias que hão de vir
Serão como este de hoje e os outros que passaram
– A tarde se despede, esconde o sol e sai...
Mas logo a noite chega, como sempre,
E espalha o milho de ouro das estrelas
No terreiro do céu.

Depois o galo branco da manhã se empluma,
Desdobra as asas claras no horizonte,
E sai catando o milho das estrelas,
Que a noite debulhou!

E, novamente, o dia surge e a tarde vem,
E a tarde se despede, esconde o sol e sai...

Ora, meu Deus! É sempre a mesma coisa:
Esta incerteza... A dúvida... Esta espera,
Sem saber até quando... – sem saber
Quando é, por fim, que a noite fica eterna
Para a eterna alegria das estrelas!