Para visualizar este site, favor habilitar o JavaScript no seu navegador.

Isabel Mendes Ferreira

12/11/2013 17:15

era uma conversa sem leitura
um hóspede sem casa
um intuir de música e uma palha
a ser paisagem era o tempo.
distante e no fundo da neve a
nascente flutuava se o coração
fosse uma túnica deveria
impugnar-te a chave.

nunca mais te serei cega.
receio bem que os teus livros
saibam a sangue em vez de
lírios. virtude meticulosa de
prender a face esquecida.