Para visualizar este site, favor habilitar o JavaScript no seu navegador.

Entro no poema

Isabel Pereira Rosa

16/05/2018 02:18

Entro no poema
Como na areia morna,
Pé ante pé,
Até a tarde ser uma taça
A transbordar de amor pelas palavras.
Entro no poema sem objetivos, sem destinatários;
Nem para os sem-amor, nem para os venturosos,
Porque esta não é uma indústria do hipotálamo
E muito menos do coração.
O poema agradece, gentil,
E as suas palavras,
Civilizadamente,
Retiram-se para fazer amor.
Não sei se voltarão.