Para visualizar este site, favor habilitar o JavaScript no seu navegador.

É um domingo

Isabel Pereira Rosa

18/01/2020 02:31

É um domingo de manhã ruidoso.
Quero pensar e não posso.
Há perguntas atravessadas na garganta
À espera de silêncio,
Flores negras que ferem de tanta beleza
Escondidas dentro do ruído.
A culpa é toda da poesia.
Sem ela, adentraria o bulício
E dançaria como toda a gente.
Por vezes, não sei bem o que queria:
Se entrar na roda e dançar
Ou continuar na solidão da poesia.