Para visualizar este site, favor habilitar o JavaScript no seu navegador.

É com ferocidade

Leonora Rosado

27/05/2019 01:21

É com ferocidade
Que ergo o poema
Tanto o assombroso
Empenho da mão esquerda
Que de igual modo
E com o mesmo ímpeto
Estrangula pássaros
Leia-se pescoços
Ando com a morte
Esse arrepio na espinha
E até parece que oiço
Ressoar os sinos
Para missa alguma
Dizem que escrever
É afogar letras uma
A uma num balde de zinco
Podemos escutá-las
Os seus gemidos
Dão raros versos
Flutuantes e mortos.