Para visualizar este site, favor habilitar o JavaScript no seu navegador.

Doce o rosto, que importa o resto...

José Rodrigues Dias

15/06/2015 02:31

Derreado um homem, de uvas cheio o cesto,
pingo meloso nas costas de maturado mosto,
trilho acima curvado lá segue outro homem...

Bebericando,
fino o néctar por velho saber e pelo tempo,
um perfume entranhado das rosas do valado
e uma luz difusa de fim de tarde sobre o rio,
doce o rosto,
os dedos macios,
corpo aberto de gosto,

que importa o cesto,
o resto?!...