Para visualizar este site, favor habilitar o JavaScript no seu navegador.

despiu-se na escuridão

Isabel Mendes Ferreira

29/06/2015 01:53


despiu-se na escuridão
o ar encheu-se de açucenas
pétala a pétala os ombros nadavam nos lençóis
o mar estava perto a boca brilhava cetácea e musgosa
nas paredes da minha pele
a montanha o nevoeiro o bosque tenro
a língua fresca táctil e aromas do oriente
uma espada o fogo as ancas
a ladeira suave
e os olhos
e as sílabas quentes rubras e abundantes
o mistério.


quem seria?

(in Um corpo (sub) exposto, p. 55)