Para visualizar este site, favor habilitar o JavaScript no seu navegador.

Capitu

Solange de Aragão

14/07/2020 01:49

“Oh! flor do céu! flor cândida e pura!”
Com quem então me traíste?
Perdi-me em toda a tua formosura,
Mas com teus desencantos meu amor partiste.

Cri em teus olhos. – Olhos de ressaca,
de cigana oblíqua e dissimulada!
Cri, mas tão somente porque te amava.
Hoje, do meu amor, já não me resta nada!

Teus lábios... Esses me levaram à loucura.
Tão louco fiquei! Tão cego fui,
que não pude perceber quem eras, criatura.

Que me traías, mas não como Desdêmona, que era pura!
Mas com tanta dissimulação
Que foste capaz de levar meu amor à sepultura!