Para visualizar este site, favor habilitar o JavaScript no seu navegador.

Beduína

J. Freire Ribeiro

11/04/2015 23:02

Entro no teu amor: empalideces...
Vibra teu corpo em mármore talhado
E, no sonho da carne, no pecado
Sobre tapetes, lânguida, estremeces!

Tonta de gozo toda te enlanguesces...
Teu níveo corpo, - lírio profanado,
Tanto mais belo quanto mais amado,
Extasiada e louca me ofereces!

A aurora surge e a noite agonizante
Vem expirar na tenda deslumbrante
Dessa noite que tens no teu cabelo.


(Soneto do livro Sahara)