Para visualizar este site, favor habilitar o JavaScript no seu navegador.

As mães

Dalila Moura

28/06/2018 21:22

As mães, ventre de vento a crescer
na invisível forma de ser luz.
A distância entre a vida e a morte
escondida em útero quente,
no gelo mudo, a estremecer sob o olhar,
uma migalha de esperança,
escondida na pele,
onde o medo impedia de crescer
a alegria, proibida, do amor.
A neve alteava sobre os pés,
garras de morte
a cobrir o silêncio e o vazio da alma.