Para visualizar este site, favor habilitar o JavaScript no seu navegador.

Ah, o tempo, esse labirinto

Isabel Pereira Rosa

03/02/2017 01:50

Ah, o tempo, esse labirinto em que nos vamos perdendo
Entre cartas, voos, mistérios, paisagens de luz e de devastação…
Ah, o tempo, esse anjo a correr desesperado por cumprir todas as teorias
Do dia e da noite, movendo pássaros e plantas, num elogio do vento, do sol, do eros…
Ah, o tempo, que não se digna parar quando o canto do mar nos passeia no sangue
Ou o olhar inteiro se entrega e ilumina o âmago de outro olhar.
Ah, tempo traiçoeiro, que corta o arrepio que percorre o interior do corpo ao anoitecer,
Na hora em que as bocas e os livros se oferecem
E pode mesmo ouvir-se o seu murmúrio ou o seu grito.
Ou serão os grilos que festejam a chegada da noite?