Para visualizar este site, favor habilitar o JavaScript no seu navegador.

Agora já não murmuras no cais

Leonora Rosado

27/04/2021 21:30

Agora já não murmuras no cais
Já não segues com os olhos
As embarcações
Fosse a erva rasteira
Uma pergunta
O céu aprisionando o luar
Dás as mãos à tempestade
E colhes o grito no intenso vermelho
Ombros que empalidecem
A mudez rara desse rio