Para visualizar este site, favor habilitar o JavaScript no seu navegador.

Adeus, Tojeira

Isabel Pereira Rosa

11/04/2016 01:01

Adeus, Tojeira!

Lugar de vento e de memórias,
moinhos parados, agora abrigos,
lugar de partida para infindáveis viagens
por terra, por mar, pelo ar
rumo aos pontos longínquos
onde os sonhos se tornam vida
e ao lugar onde finalmente se descansa.
Viagens para fora e para dentro
na busca da essência, do sentido,
da cura para os males perto e longe.
Lugar a que o tojo deu nome
e aqui ficou ele para sempre
a lembrar que a vida é agreste
a espicaçar quem se esquece
e adormece embalado pelo vento
e pelas memórias.

Isabel Pereira Rosa ©