Para visualizar este site, favor habilitar o JavaScript no seu navegador.

A viagem

Dalila Moura

19/12/2018 01:48

Quando se caminha de frente para o mar
a água aquece-nos os olhos
e o sol entra no peito em borbotão.
Incendeia-se o poente. Do outro lado
do infinito, as vozes soletram no vento
o nome do barco onde o olhar penetrou.
Um rosto ausente. Ateado pelo firmamento
onde a boca de uma estrela segreda e beija a espuma.
São os passos que perseguem o silêncio alastrado
onde estremece a carícia azul. Há um manto de pureza a
resvalar entre as mãos.
Dois corpos no movimento das pedras. Tocam-se.
E faz-se lume.
Todo o mar a arder.
E o fascínio das marés a perpetuar o espanto.
O encontro que perdura na viagem por acontecer!