Para visualizar este site, favor habilitar o JavaScript no seu navegador.

A todos os pescadores

Isabel Pereira Rosa

18/01/2020 02:37

Tão raro é o silêncio
e nem sempre triste
toalha de luz onde se espraia o pensamento,
planície verde,
onde pode cavalgar, silencioso,
algum recado.
Nem só com armas e tambores se faz a luta,
tu, pescador, silencioso,
enfrentas no mar forte labuta.
E tu, mulher,
à espera na praia,
do peixe que é teu pão,
do homem teu marido,
teu pai ou teu irmão,
só as vagas quebrarão
todo o silêncio que à tua volta existe.
Tão raro é o silêncio
e quantas vezes triste.