Para visualizar este site, favor habilitar o JavaScript no seu navegador.

A outra face

José Rodrigues Dias

07/02/2014 18:13

Densa, mulher densa que te olhas
como se fosse num espelho em nevoeiro,
que a tua outra face intensa olhas
e ela de frente igual te olha
em resposta
e na mesma dúvida te interroga
como um perdido em templo de silêncio
sem local nem tempo
e tu,
sem resposta,
a olhas de volta a todo o momento
numa peregrinação solitária de ir e vir
como o fazer e o desfazer de Penélope
que me parece daqui sem fim,
diluído já mesmo o início
do teu porquê…

Porém,
agora que vos olho melhor,
de mais longe,
que observo mais longe
o denso perene das coisas
no seu centro mais fulcral,
deixando o pormenor do momento,
o mar sem ondas,
tudo me parece claro
no meio difuso do pensamento:
no meio está claramente
o cálice da incerta procura
do vosso Santo Graal,

é isso mesmo, agora certo o sei,
é o cálice da vossa procura
do Santo Graal
que se esconde em nevoeiro,

o que parecia espelho é disfarce
que a noite de Penélope esconde…