Para visualizar este site, favor habilitar o JavaScript no seu navegador.

A ode do amor fatal

Avelino Bento

16/06/2021 01:49

Amo-te
e quero amar-te intensamente
até que o desamor nos obrigue.

Amo-te
e quero amar-te timidamente
até que a realidade nos castigue.

Amo-te
fazendo deste amor uma odisseia
que marcará a história comum.

Amo-te
sabendo então que esta ideia
é partilhada pelos dois, e não por um!