Para visualizar este site, favor habilitar o JavaScript no seu navegador.

Humberto Lima de Aragão Filho (Editor)

20/11/2013 23:55

A existência é um amálgama de experiências díspares: há dias de calmaria em que os ventos tornam-se apenas sussurrantes e o mar plácido; há ocasiões procelosas, de ventos fustigantes, que nos ameaçam a soçobrar. Mesmo assim, além dos cúmulos alvinitentes ou das nuvens acinzentadas, em meio às campinas etéreas, o sol não deixa de refulgir – ele brilha sempre.